Romance Gourmet

As luzes estão difusas. Você está sentada numa mesa reservada de um restaurante chiquérrimo e se sente plenamente satisfeita de salmão com alcaparras, e até um pouco embriagada por causa do delicioso vinho francês que degustou nessa bela noite. Tudo está perfeito.
Da sua mesa você tem uma maravilhosa vista do Rio, suas luzes bruxuleantes e seu calor úmido que faz com que seu corpo vibre embaixo de seu vestido de seda azul-marinho. Você acha que não encontrará nada mais belo para contemplar nesta noite, quando de repente você olha para o lado e ele está lá.
Mais ou menos um metro e oitenta, cabelos loiros levemente ondulados, ombros largos e olhos inacreditávelmente verdes, agora um pouco escuros por causa da meia luz.
Ele veste um terno bem cortado, que combina com o ambiente, sua pele levemente acobreada sugere que aquele Deus Grego pegas umas ondas nas horas vagas. E, com um sorriso travesso nos lábios cheios e um andar conquistador, ele se aproxima lentamente da sua mesa, de você, e seu coração começa a martelar insanamente dentro de seu peito, como se quisesse quebrar sua costelas.
Ele não exita nem por um momento, anda determinado por entre as mesas em sua direção. Quando para a centímetros de você, você pode notar seu perfume, sua loção pós-barba e todo aquele ser deixa você meia zonza.
E então, de repente, não mais que de repente, ele se inclina em sua direção e lhe entrega um macio e pequeno livrinho e diz, com a voz mais aveludada possível:
_Sua conta, senhora.

Nenhum comentário: