Halloween Days - Parte 1

Eu não tinha palavras para descrever o tamanho do tédio que eu estava sentindo. Bom, eu não estava sentindo nada fisicamente, por que da cintura para baixo estava tudo dormente... mas ainda sim...
_Vai demorar muito ainda, tia Carmem? _ Perguntei, impaciente.
_Calma menina, falta só mais uns retoques. Valerá à pena, você verá!
Eu suspirei. Já estávamos trancadas no meu closet havia horas! T-O-R-T-U-R-A!
_Você costumava gostar do Dia das Bruxas antigamente_Comentou Carmem.
_Antigamente_ Respondi apenas.
Antigamente, quando eu tinha dez anos e podia sair por ia me divertindo nos Doces ou Travessuras. Agora tudo era monótono e chato. As mesma patricinhas vestidas de princesa; os mesmo meninos vestidos de monstros, as mesmas músicas, a mesma decoração. Ahhhhhh!
Mas eu não falaria isso para Carmem. Ela era uma antiga amiga de minha mãe e estava se esforçando muito para deixar meu vestido perfeito. Dizer estas coisas à ela, só à magoaria à toa. Fora que Erick estava chegando e eu teria motivos para sorrir novamente.
Erick... meu querido amigo de infância. Posso lembra com clareza de cada travessura nossa: agente correndo descalço no bosque. Agente fugindo de casa na 4° série depois de Erick ter tirado uma nota ruim em geografia. Agente colocando coco de cachorro na porta do Senhor Fernandes.
Fazia 3 anos que Erick havia partido (sua familia mudou de cidade) e agora ele estava voltando. Eu mal podia esperar para rever-lo.
_Prontinho!_Anunciou Carmem.
Fiquei feliz por ter acabado. Tirei o vestido do corpo com cuidado e decidi escrever um e-mail para Erick. Mal abri minha meu correio eletrônico e me deparei com um e-mail dele pra mim! Isso era tão raro! Erick quase nunca escrevia para mim e, quando escrevia era algo como "Oi, Tchau". Não que esse e-mail fosse muito diferente:
 "Querida Taylor, 
Mal posso esperar para te reencontrar. Espero que me reconheça, auhsauhsauhs.
Não se preocupe, tudo ficará bem. Você verá. Sinto sua falta.
Erick"
 Isso era o que me deixava maluca com ele. O que significa "não se preocupe, tudo ficará bem"? Do jeito que ele falava parecia que ele tinha alguma doença incurável ou algo do tipo.
Eu já estava acostumada com os e-mails dele, por isso não me acanhei ao escrever um dos meus e-mails gigantes, e-mail à lá-Taylor, como Erick costumava chamar:
"Caro Erick,
Estou ansiosa para te reencontrar também. As coisas nesta cidade ficam difíceis sem você. 
Bom, e agora vou finalmente poder te colocar contra a parede e fazer você contar tudo o que andou aprontando nestes 3 anos. Prepare-se! suashasuhauhs
Só não entendi o porque de você ter insistido tanto em vir no Halloween. Fale sério, você sabe muito bem que o Halloween em Diablo é tão animado quanto o chá das cinco na casa da Senhora Parquinson :P
Mas tudo bem, é bom que você venha, quem sabe meu tédio não diminua? Tudo pode acontecer.


Taylor

 P.S.: Também sinto sua falta seu bóco. Chega logo."

Continua... 

Nenhum comentário: