Halloween Days - Parte 7

Sai de casa atrasada, jogando beijos rápidos aos meus pais. Havia dormido mal noite passada, o que resultou no meu atraso matinal. Eu estava descendo praticamente correndo a avenida 15, quando eu o vi. Lembrei de meu sonho imediatamente, que agora parecia algum tipo de premonição, ou presságio.
Erick, encostado numa árvore mais além, braços e pernas cruzados. Eu gelei.
Ele se desencostou da árvore e andou em minha direção. As evidencias de que meu pesadelo tinha sido apenas isso, um pesadelo, logo iam aparecendo: ele abriu seu sorriso mais largo e mais sincero, aquele que derreteria o coração mais gelado do mundo.
Seus olhos azuis brilhavam como a primeira manhã de primavera. Ele chegou até mim e me abraçou, eliminando qualquer vestígio de meus delírios noturnos.
_Baixinha!!!! Você andou encolhendo, com certeza!_Brincou ele
Eu queria brigar com ele por me chamar de baixinha, mas eu estava tão eufórica com sua presença, que ignorei.
_Erick...Senti tantas saudades sua!_Falei, me livrando dos braços dele para poder olha-lo. Erick era meu amigo, mas... ual! Que garoto gostoso!
"Taylor, ai aia" ralhei-me mentalmente.
_Também senti saudades suas! Muita!
_Não parece..._fiz um biquinho_Seus e-mails eram sempre tão curtos... e você sempre demorava tanto para responder...
_Não sou muito de e-mails._respondeu ele, simplesmente_Mas e aí, o que pretende fazer hoje?_desconversou ele.
_Bom eu não..._ neste exato momento lembrei que eu estava super-hiper-mega-best atrasada para a aula_Oh Meu Deus!
Erick recuou, como se eu tivesse lhe ofendido. Esqueci-me da escola:
_Você esta bem? Oh meu Deus!
Ele recuou novamente e falou em um tom rude:
_Quieta!
Fiquei paralisada e em silêncio. Meus olhos se encheram de lágrimas, Erick nunca falara neste tom comigo antes.
Ele respirou fundo e se aproximou.
_Desculpe, foi só uma...tontura. Tenho isso de vez enquando_admitiu ele, constrangido.
De ofendida eu pulei para preocupada. Tonturas? Desde quando? Erick nunca ficava doente, nunca se queixava de nada. Juntando isso aos e-mails suicidas, eu comecei a ficar MUITO preocupada.
_Você está bem mesmo? O que eu posso fazer para ajudar?
_Já estou bem, não se preocupe. Mas se você fosse dar uma volta comigo, eu me sentiria bem melhor_ele abriu um daqueles sorrisos beeeeeeem convincentes.
Eu revirei os olhos, mas aceitei. Erick segurou minha mão e eu esqueci totalmente do resto do mundo: escola, Loren, Jake, Kaio.
Ele me levou para dar uma volta no bosque, igual quando éramos crianças. Ele segurava minha mão o tempo inteiro o que me deixava inteiramente feliz. E isso era muito estranho pois eu sempre tive Erick como meu melhor amigo, nada mais.
Apesar de toda a minha euforia, eu queria interroga-lo. Queria perguntar por onde ele tinha andando por todo esse tempo, com quem esteve, se ele estava vendo Mark, como estavam seus pais... Mas Erick desvia-me de qualquer assunto muito pessoal com novidades do tipo "Ahh, você ouviu a nova música do Boys Like Girl?" e "Você viu aquele grupo cover do ACDC cantando T.N.T?" e por esse caminho nós continuávamos, falando de tudo, menos de coisas importantes de verdade.

Nenhum comentário: