Como criar um personagem decente



Por Carol Teles.

Inspirada no post do Blog Caindo de Boca (que eu adoro, só para constar) resolvi criar a minhas próprias regras sobre como criar um personagem - decente - para a sua história.
Vocês não sabem disso, mas eu estou empenhada em escrever uma história. Afinal, hoje em dia todo mundo é escritor, certo?
 Bom, essa coisa de gostar de escrever me persegue desde sempre e então e resolvi finalmente por no papel - ou no Word, tanto faz - essa ideia.
O fato é que você cria uma super história cheia de aventuras e romance, um enredo maravilhoso e destrói tudo com uma bosta de personagem. Sim, uma bosta de personagem pode transformar sua linda história numa... Bosta.
Exemplo: Crepúsculo. Não me odeiem fãs de Twilight, eu realmente curto a história mas vamos confessar: a Bella é uma mosca morta. Um pouquinho de personalidade para ela dariam um #Up e tanto na história. Mas isso é só a minha humilde opinião...
E então, depois de apanhar bonito de meus personagem, reuni uma série de regrinhas para usar na hora de criar um mocinho/ vilão/ coadjuvante fofo decente. Sem mais lenga-lenga #go:


1- Personalidade: Como eu já citei anteriormente, seu personagem precisa ter personalidade, principalmente se ele for o principal.
Mas o que é ter personalidade Carol?
Ter algo marcante! Alguma característica que o destaque das outras pessoas, que faça ela ou ela ser especial e digna de viver uma aventura/ romance/ lance rs. Nada de criar umas Bella's da vida, em! #falomesmo

2- Realidade: Sua história pode se passar na puta que pariu e seu personagem ser um Alien verde com gosma azul (?) não importa, ele precisa ter algo que o traga para a realidade, algo que crie aquela expectativa no leitor a ponto dele pensar "Será que isso pode mesmo acontecer?" ou então "Poderia ter acontecido comigo!". Afinal é para isso que compramos livros (pelo menos eu). Para encontrar uma história que me emocione, que me desligue do mundo e que me faça realmente acreditar que por alguns minutos que seja aquilo é possível. Transmitir essa verdade ao leitor é super importante.

3- Fidelidade: De nada adianta você fazer uma descrição de três folhas de um personagem e depois fugir dessa descrição totalmente.
Explico: Imagine Lúcio Malfoy contando uma piadinha infame diante de Você-Sabe-Quem. Ou então nosso querido Harry Potter traindo um de seus amigos (esperando ansiosamente pela segunda parte de Harry Potter\o/). Bizarro né.
Se você escreveu que seu personagem nunca come queijo, você não pode lá no final do livro escrever uma cena dele se lambuzando com queijo nacho. Fidelidade ao personagem galera.

4- Encarne: Isso mesmo. Se coloque no lugar de seu personagem e reflita: Como ele agiria? (Isso sempre da certo para mim).
Vamos pegar o livro Feios, de Scott W. (que eu acabei de ler e logo logo terá resenha *spoiler*): Se eu fosse uma garota que vivesse em um mundo onde a única coisa importante é se tornar perfeita e frequentar festas badaladas, como eu pensaria?
R: Eu gostaria de me tornar perfeita, óbvio, até porque isso foi tudo o que eu conheci até o momento.
Para resumir, se colocar no lugar de seu personagem é humaniza-lo. E isso nos remete a regra número 2.

5- Diga não ao Clichê pelo amor a tudo que é mais sagrado no mundo: O mundo literário pede, implora, por mocinho originais. Mas afinal, o que é ser clichê? Clichê é criar uma personagem loira super fútil que só pensa em comprar, consumir e adquirir roupas com o cartão de créditos dos pais. Clichê é criar um mocinho super gato que só apanha, é um total bocó, mas que no final vence magicamente, muitas vezes usando o poder do amor (coisa brega detectada).
Por isso, crie defeitos para os seus personagem. Por que não? Deixem eles ganharem algumas batalhas, deixe eles se questionarem, errarem, criarem confusão. Dê um pouco de liberdade para eles.

Só para lembrar, eu não sou nenhuma especialista no assunto, mas esse é um roteiro que eu costumo seguir na hora de inventar meus futuros heróis e heroínas. Boa sorte com a história de vocês.

P.S.: E se esse post ajudou, quero uma dedicatória decente no final do seu livro.
P.S.²: Pedir não ofende. Assim espero =DDDDDD

2 comentários:

zezehproccopio disse...

Adorei a suas dicas; ja que estou nessa de escrever ja estou pensando em meu personagem. Deseje me sorte ta ok!

૮α૨ѳℓ disse...

Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte Sorte